Como chegar ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos

 

  • O Parque Nacional da Serra dos ÓrgãosPARNASO – possui três sedes – Petrópolis, Teresópolis e Guapimirim – sendo que a Travessia da Serra dos Órgãos conecta as duas primeiras;

   

»PORTARIA DE PETRÓPOLIS

  • A portaria de Petrópolis fica em Côrreas, distrito petropolitano, na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro;

CARRO: Pra chegar de carro, basta colocar no GPS do celular: “parnaso – sede petropolis” 

TRANSPORTE PÚBLICO

  • Linhas de ônibus que levam à Rodoviária de Petrópolis (conhecida como Terminal Bingen):
  • SP x Petrópolis – Viação Salutaris;
  • BH/Tiradentes x Petrópolis – Viação Útil ou Viação Paraibuna;
  • RJ x Petrópolis – Viação Útil / Viação Única saindo da Rodoviária Novo Rio / Viação Única saindo do Castelo (centro do Rio);

→  Clique Aqui para ser direcionado para o Moovit, site com as melhores linhas e rotas de transporte público para chegar à Portaria de Entrada do PARNASO – sede Petrópolis;

»PORTARIA DE TERESÓPOLIS

  • A portaria de Teresópolis fica bem no centro urbano da cidade, na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro;

CARRO: Pra chegar de carro, basta colocar no GPS do celular: “parnaso – sede teresópolis” 

TRANSPORTE PÚBLICO

  • Clique Aqui para ser direcionado para o Moovit, site com as melhores linhas e rotas de transporte público para chegar à Portaria de Entrada do PARNASO – sede Teresópolis;

 

INFORMAÇÕES ÚTEIS

→ Na sede de Teresópolis existe estacionamento dentro do parque. Na sede de Petrópolis os estacionamentos são privados e ficam no entorno do Parque;

→ Alguns funcionários do Parque realizam um transporte pago entre as sedes para facilitar a vida dos praticantes de trekking que pretendem fazer a Travessia. Funciona da seguinte forma:

  • o montanhista deixa o veículo na sede de Petrópolis sob a responsabilidade desse funcionário e combina um valor;
  • o funcionário levará o carro até o estacionamento da sede de Teresópolis (lembrando que o estacionamento é pago);
  • quando o montanhista concluir a Travessia, o veículo estará lá aguardando por ele. Basta retomar a chave e efetuar o pagamento;

→ Também é possível deixar o carro em uma das sedes e combinar previamente um transfer (UBER, táxi, van ou similares) de volta. Não deixe para fazer depois, pois os motoristas se aproveitam da situação e cobram valores exorbitantes;

→ É possível fazer o trajeto via ônibus, mas os horários são limitados e não há ônibus direto entre Teresópolis e Córreas;

 

Roteiro da Travessia Petrópolis x Teresópolis

  • Como concluímos a Travessia iniciando em Petrópolis e encerrando em Teresópolis, a partir daqui falaremos apenas sobre esse percurso. Nos pareceu uma logística melhor terminar em Teresópolis, porque além de ter uma estrutura muito maior, com lanchonetes, estacionamento e belos mirantes, o trajeto no sentido Pedra do Açu x Pedra do Sino, reserva os melhores visuais possíveis;

» DIA 1: PORTARIA DE PETRÓPOLIS X PEDRA DO AÇU

Distância6 km
Tempo4 h 30 min
Nível do TrajetoModerado / Difícil

Portaria de Petrópolis x Bifurcação Cachoeira Véu da Noiva (tempo: 1 hora // nível:  leve)

  • A sede de Petrópolis é bem simples;
  • Após apresentar documentação e pagar as taxas na portaria de entrada, basta seguir pela trilha principal do parque;

portaria-parnaso-sede-petropolis

  • No caminho existem algumas bifurcações que levam a  poços e quedas menores. Nada que valha a pena conhecer;
  • Leva cerca de 1 hora de trilha até a bifurcação sinalizada  com a saída para a Cachoeira do Véu da Noiva (foto abaixo);
  • Se não desejar conhecer a cachoeira, ignore e siga em frente, sempre subindo;

bifurcacao-travessia-do-parnaso

Bifurcação da Cachoeira Véu da Noiva x Pedra do Queijo (tempo: 45 minutos // nível:  leve)

  • A partir dai a trilha se torna uma grandes e monótonas subida e descidas e zigue-zagues até chegar à Pedra do Queijo, primeiro ponto de referência da travessia e um belo mirante (a pedra tem esse nome pelo formato arredondado, lembrando um grande queijo – foto abaixo);

pedra-do-queijo-travessia-petropolis-teresopolis

Pedra do Queijo x Ajax (ponto de água) (tempo: 1 hora // nível:  leve)

  • Continue na trilha até chegar numa laje de pedra;
  • Suba em direção à esquerda passando por cima da laje até chegar no próximo ponto de referência, conhecido como Ajax;
  • Cuidado para não seguir reto;
  • Este local é também um ponto de água característico por ter uma pedra com uma divisão no meio, como uma noz;

Ajax x Isabeloca (tempo: 1 hora // nível:  leve)

  • A subida da encosta continua, cada vez mais íngreme e em terreno acidentado até o próximo mirante conhecido como Isabeloca

Isabeloca x Pedra do Açu / Abrigo (tempo: 40 minutos // nível:  leve)

  • Logo se chega ao Chapadão, já bem alto, e existem várias opções de trilhas que seguem até os Castelos do Açu, também conhecido como Pedra da Tartaruga pelos locais, pela semelhança com o casco de tartaruga (foto abaixo);
  • Nesse trecho a trilha cruza por lajes de pedra, então fique atento pra não se perder;

pedra-do-acu-travessia-da-serra-dos-orgaos

  • Passando por um  antigo Abrigo desativado na base da Pedrado Açu (foto 1) e;
  • Descendo em direção a uma ponte suspensa que cruza um pequeno córrego, está o Abrigo do Açu, um chalé pago com banho quente e cozinha com capacidade para 30 visitantes (12 beliches e 18 bivaque). Junto ao abrigo existe uma área de camping com capacidade para 70 pessoas (foto 2). Dá pra trazer a própria barraca ou alugar no local.
Travessia da Serra dos Órgãos - antigo abrigo desativado
Travessia da Serra dos Órgãos - antigo abrigo desativado
Travessia da Serra dos Órgãos - Abrigo do Açu
Travessia da Serra dos Órgãos - Abrigo do Açu
  • O Morro do Açú possui vários atrativos, como um labirinto em meio a suas gigantes rochas, alguns mirantes de onde é possível vislumbrar o nascer do Sol,  bem como uma Cruz na beira de um precipício em homenagem as pessoas que morreram ao longo da Travessia (foto abaixo);

cruz-travessia-da-serra-dos-orgaos

» DIA 2: PEDRA DO AÇU X PEDRA DO SINO

Distância7 km
Tempo5 h 30 min
Nível do TrajetoExtremamente Difícil

Pedra do Açu x Morro do Marco (tempo: 40 minutos // nível:  leve)

  • Até chegar na Pedra do Açu a trilha é bem demarcada, com pequenos trechos de exceção;
  • A partir da área do Abrigo no Açu, é mais raro encontrar trilhas de terra (a maioria são grandes lajes de pedra);
  • Além disso, esse trecho possui locais que exige maior técnica para ultrapassar, mas nada impossível de encarar;
  • Saindo do abrigo, sempre se guie pela  Pedra do Sino, visível durante todo o percurso;
  • O próximo passo é uma descida bem íngreme, seguida de uma subida tão íngreme quanto;
  • Chegando ao outro lado a trilha segue pela crista do Morro do Marco, montanha vizinha ao Morro do Açu e ponto de partida para a trilha que leva aos Portais do Hércules, de onde se tem um incrível visual do nascer do Sol (foto abaixo);
  • A descida desse morro é a parte mais complicada e que a maioria das pessoas se perde;
  • A dica é seguir em direção ao Dedo de Deus;
  • Basta descer beirando os arbustos da esquerda até achar a trilha lá embaixo;

morro-do-marco-travessia-da-serra-dos-orgaos

Morro do Marco x Morro da Luva (tempo: 1 hora // nível:  leve)

  • O próximo obstáculo é o Morro da Luva segunda montanha mais alta da Serra dos Órgãos, com 2.263 metros de altitude;
  • A subida começa íngreme e existem algumas lajes de pedra que podem fazer a trilha ser perdida;
  • O segredo é sempre atentar para a trilha no lado esquerdo, até a descida;
  • Chegando no vale ao pé do morro, local conhecido como Geladeira ou Vale da Luva, antigo local para acampamento;
  • Depois, outra subida íngreme até chegar ao topo do Morro da Luva e se deparar com o belo visual da Pedra do Sino e do Garrafão, à sua direita (foto abaixo);

garrafao-travessia-da-serra-dos-orgaos

Morro da Luva x Morro do Dinossauro (tempo: 45 minutos // nível:  leve)

  • A descida do Morro da Luva é repleta de lajes de pedra e um pequeno córrego, demandando atenção redobrada;
  • Ao atravessar as lajes tem um corrimão artificial que ajuda na passagem por um riacho que escorre pelas pedras;
  • Depois de cruzar uma pequena ponte, o próximo desafio: o temido Elevador;
  • São vergalhões fixados no paredão que formam uma escada, tornando a subida bem mais rápida e perigosa (foto abaixo);
  • Após o Elevador, basta seguir pela esquerda, contornando a montanha;
  • Depois de umas subidas e decidas  (algumas com auxílio de grampos e cordas) você chega à crista do Morro do Dinossauro;

elevador-travessia-da-serra-dos-orgaos

elevador-travessia-da-serra-dos-orgaos-2

Morro do Dinossauro x Vale das Antas (distância: tempo: 1 hora // nível:  leve)

  • No alto do Morro do Dinossauro a trilha segue entre lajes de pedras e mata;
  • A trilha vai descendo em zigue-zague até chegar no Vale das Antas, antigo local de acampamento e ideal para uma pausa para se alimentar e se hidratar no riacho que passa pelo vale (foto abaixo); 

vale-das-antas-travessia-da-serra-dos-orgaos

Vale das Antas x Pedra da Baleia (distância: tempo: 50 minutos // nível:  leve)

  • Depois de um bom tempo caminhando por cima de lama preta, o próximo ponto de referência é a Pedra da Baleia;
  • A rocha lembra o corpo de uma imensa Baleia e fica bem no meio do caminho;
  • A vista lá de cima é sensacional em 360 graus;

Pedra da Baleia x Pedra do Sino (distância: tempo: 40 minutos // nível:  leve)

  • Depois de passar pela Pedra da Baleia a trilha vai beirando um abismo com vista para o Garrafão e Pedra do Sino a frente e a Pedra do Açu distante lá trás. Nesse momento dá pra ter uma noção de todas as longas subidas e descidas que ficaram para trás;
Travessia da Serra dos Órgãos - Pedra do Sino
Travessia da Serra dos Órgãos - Pedra do Sino
Travessia da Serra dos Órgãos - Garrafão ao fundo
Travessia da Serra dos Órgãos - Garrafão ao fundo
  • Esse último trecho é o mais técnico da travessia:
  • Primeiro, passado o “abismo” você desce até chegar a um ponto conhecido como “Mergulho“, onde é necessário um pouco de calma e muita atenção pra descer de uma grande rocha até o chão (aproximadamente 3 metros);
  • No local tem grampos para fixar cordas, mas com duas pessoas já é possível descer as mochilas sem problemas;
  • Já na parte baixa, chamado de Vale dos 7 Ecoscomeça então uma “escalaminhada” cansativa até o topo da Pedra do Sino;
  • No alto dessa subida, já bem próximo do fim, está o temido Cavalinho, parte que exige bastante técnica;
  • O ideal é utilizar cordas, mas se não tiver nenhuma à mão, jogue a mochila primeiro e depois “escale” a pedra como se estivesse montando um cavalo (veja a galeria abaixo); 
Travessia da Serra dos Órgãos - "cavalinho"
Travessia da Serra dos Órgãos - "cavalinho"
Travessia da Serra dos Órgãos - "cavalinho"
Travessia da Serra dos Órgãos - "cavalinho"
  • Seguindo pela trilha logo tem uma bifurcação: seguindo pela trilha principal, você desce em direção ao Abrigo 4;
  • Para seguir para o topo da Pedra do Sino, suba à direita, saindo da trilha principal;
  • A Pedra do Sino é o ponto mais alto da Serra dos Órgãos com 2.275 metros de altitude. Lá de cima tem uma visão panorâmica incrível de toda a região. Dá pra ver a Pedra do Açu, Dedo de Deus, Agulha do Diabo, Garrafão, dentre outras formações famosas;

travessia-da-serra-dos-orgaos

Travessia da Serra dos Órgãos - mirante com vista para Teresópolis
Travessia da Serra dos Órgãos - mirante com vista para Teresópolis
Pôr do Sol na Pedra do Açú em Petrópolis
Pôr do Sol na Pedra do Açú em Petrópolis

Pedra do Sino x Abrigo 4 (distância: tempo: 20 minutos // nível:  leve)

  • Além do visual, o cume ainda tem um marco de pedra fixado;
  • O Abrigo 4, a cerca de 2.200m de altitude, possui capacidade para 30 visitantes (12 beliches e 18 bivaque), dispõe ainda de cozinha e banho quente. O camping tem capacidade para 70 pessoas. O montanhista pode trazer a própria barraca ou alugar;

» DIA 3: PEDRA DO SINO X PORTARIA DE TERESÓPOLIS

Distância14 km
(4 km da barragem à portaria)
Tempo4 h
Nível do TrajetoModerado / Difícil

Abrigo 4 x Barragem (tempo: 3 horas // nível:  leve)

  • Ao deixar o Abrigo 4, a trilha passa pelo Campo das Antas, um lugar de vegetação baixa e com bastante lama preta;
  • A descida é longa, num zigue-zague de quase 3 horas que parece infinito;
  • Ao longo do caminho, existem alguns pontos de referência como o Cota 2000 (local que marca 2.000 metros de altitude), que serve de ponto de partida para outros atrativos, como o Morro da Cruz e o Mirante da Agulha do Diabo, e pelo antigo Abrigo 3 (1.920 metros), antigo acampamento;
  • Já quase no final, existe um ponto de hidratação, na Cachoeira do Papel, na beira da trilha;
  • Ainda, existem duas ruínas dos antigos Abrigos 2 e 1, e pela Cachoeira Véu da Noiva;
  • A trilha chega ao fim numa porteira que dá acesso à Barragem, onde fica o Centro de Visitantes da sede Teresópolis;

Barragem x Portaria de Teresópolis (tempo: 40 minutos // nível:  leve)

  • A Barragem é um ambiente familiar, com estacionamento, lanchonete, uma pequena queda d´água originada da Barragem, além de algumas trilhas que levam a belos mirantes e paisagens (confira nas curiosidades finais);
  • Partindo da Barragem, tem uma van que leva até a Portaria do Parque, periodicamente, pra facilitar a vida dos montanhistas sem carro, pois a Estrada da Barragem é uma descida extensa e cansativa, esforço desnecessário para quem já percorreu mais de 30 km carregando uma mochila;

 

Curiosidades sobre o PARNASO

→ O Parque Nacional da Serra dos Órgãos é uma Unidade de Conservação Federal de Proteção Integral, subordinada ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), cujo objetivo maior é o de preservar amostras representativas dos ecossistemas nacionais;

→ Criado em 30 de novembro de 1939, o PARNASO é o terceiro parque mais antigo do país, representando um importante marco na história das Unidades de Conservação Brasileiras. É um dos melhores locais do país para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros; além de ter fantásticas cachoeiras. O Parque tem a maior rede de trilhas do Brasil. São mais de 200 quilômetros de trilhas em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa, acessível até a cadeirantes, até a pesada Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 Km de subidas e descidas pela parte alta das montanhas;

→ Entre as escaladas destacam-se o Dedo de Deus, considerado o marco inicial da escalada no país, e a Agulha do Diabo, escolhida uma das 15 melhores escaladas em rocha do mundo;

→ O Parque Nacional da Serra dos Órgãos é dividido em 3 (três) setores: Setor Petrópolis, Setor Teresópolis e Setor Guapimirim;
→O Setor Petrópolis possui uma pequena estrutura com Centro de Visitantes e costuma ser o ponto de partida para a Travessia Petrópolis x Teresópolis. NÃO POSSUI ESTACIONAMENTO. Seus atrativos são: 
  • Cachoeira Véu da Noiva – queda com 30 metros de altura;
  • Cachoeira das Andorinhas –  queda com 15 metros de altura;
  • Gruta do Presidente – o Presidente Getúlio Vargas gostava de ir até a Gruta de mula, por isso o nome;
  • Pedra do Açu / Castelos do Açu – com seus 2.245 metros de altitude é o mais alto de Petrópolis;
  • Poço do Paraíso – O mais visitado da Sede Petrópolis;
  • Poço das Bromélias;
  • Poço dos Primatas;

→O Setor Teresópolis  está localizada na área urbana da cidade, sendo a principal do PARNASO. Oferece ao visitante infra-estrutura completa de lazer além de inúmeras trilhas com mirantes, poços de rio, centro de visitantes e piscina de água natural. Possui capacidade para até 270 carros estacionados. Seus atrativo mais famoso é a Pedra do Sino, pico mais alto do PARNASO. No entanto, há muitos outros:

  • Trilha 360ºMirante Borandá voltado para a Serra dos Órgãos. Ainda, serve de junção entre as Trilhas do Cartão Postal e Mozart Catão;
  • Trilha Suspensaa mais visitada da Sede Teresópolis, seu acesso é  pelo final da Estrada da Barragem;
  • Trilha Primavera;
  • Trilha Mozart CatãoMirante Alexandre Oliveira, com vista para a cidade de Teresópolis e o Parque Estadual dos Três Picos, ao fundo;
  • Trilha Cartão Postalacesso a um mirante voltado para a cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos. Considerada a mais bonita da Sede;
  • Poço do Castelo – este poço é mais tranquilo para quem prefere local mais tranquilo e natural para banho de rio;
  • Poço Dois Irmãos – O poço mais bonito da Sede Teresópolis, seu acesso é a direita da piscina natural;
  • Poço Ceci e Peri;
  • Poço da Ducha (da Barragem) – Seu acesso é através de uma escada de madeira na Praça da Barragem;

→ O Setor Guapimirim possui diversas trilhas, cachoeiras e poços de rio, além de estrutura completa para camping (Camping Jacu e Camping Araçari) com total segurança para os visitantes, com destaque também para o Centro de Visitantes e Museu Von Martius e outras construções históricas. Seus atrativos são:

  • Poço da Capelajunto à histórica capela de Nsa. Sra. da Conceição do Soberbo;
  • Poço da Mãe D´água;
  • Poço do Sossego;
  • Poço da Ponte Velha – junto às ruínas dos pilares de uma antiga ponte da estrada real;
  • Poço Verde – principal atrativo natural da Sede Guapimirim, é um conjunto de cachoeiras, corredeiras e poços do Rio Soberbo;
  • Poço da Preguiça;
  • Trilha das Ruínas;
  • Trilha Circular;

Informações úteis

Horário de funcionamento das bilheterias: de 8:00 às 17:00, diariamente;

Horário de entrada: de 6:00 às 22:00.

→ Confira aqui a tabela de preços no site do PARNASO;

Orientações:

  • Todos os atrativos do PARNASO podem ser visitados sem o acompanhamento de um Guia ou de um Condutor de Visitantes. Entretanto, para algumas atividades como escaladas e caminhadas nas áreas de montanha, como a Travessia Petrópolis x Teresópolis, é recomendável a presença de uma pessoa que conheça o atrativo ou a contratação de um Condutor de Visitante;
  • Para acessar a área de montanha é necessário o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos;
  • Menores de idade descompanhados dos pais, devem apresentar autorização dos pais ou responsáveis;
  • Não é permitida a entrada e a permanência de animais domésticos no PARNASO;

  ——————————–“Um grande abraço e que nossos caminhos se cruzem pelas trilhas da vida!”
  —————————————————-TRILHAS & CACHOEIRAS

 

Deixe um Comentário

*By using this form you agree with the storage and handling of your data by this website.

Trilhas e Cachoeiras foi criado em 2014 para compartilhar dicas, fotos, roteiros e experiências de trilhas e viagens no Brasil e no mundo. 

Copyright©2022. Todos os Direitos Reservados ao site Trilhas e Cachoeiras

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Aceitar Read More

Traduzir »

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.