Cachoeira do Saco Bravo – Paraty

Cachoeira do Saco Bravo

 

  Endereço  Ponta Negra – REEJ, Paraty / RJ
  Distância Total  4,2  km
  Tempo Total  2 horas 30 minutos  
  Nível do Trajeto  Difícil

 


>A CHEGADA

         O Farol da Juatinga fica na Ponta da Juatinga, localizada na Reserva Ecológica Estadual da Juatinga (REEJ), em Paraty e é acessível via barco ou trilha.

De carro: pra chegar a Paraty, a partir do Rio de Janeiro, acessar a rodovia BR-101, conhecida como Rio-Santos. A estrada, uma das mais belas do estado do Rio, percorre a região da Costa Verde. Do Rio até Paraty são 240 km.

De ônibus: Ir até a rodoviária de Paraty e de lá pegar um ônibus circular até Laranjeiras ou Paraty Mirim (dependendo de onde for iniciar a travessia)

ATENÇÃO: Os postos de gasolina em Paraty não funcionam até tarde da noite. Preste atenção nisso! Se for necessário pernoitar em Paraty, recomendo o Caiçara Hostel Paraty – simples, mas com bom custo benefício para uma noite apenas

OBS: Muitos viajantes que decidem fazer a Travessia da Juatinga (ver relato aqui) aproveitam pra visitar o Farol. Foi exatamente o que fizemos, partindo de Martim de Sá. (Veja o “Dia 4” do relato)


>A TRILHA

            A trilha pra Cachoeira do Saco Bravo começa no centrinho de Ponta Negra, passando pelo Camping do Ismael e seguindo paralelo à trilha que vem de Martim de Sá (percurso que faz parte da Travessia da Juatinga). Esse início é um pouco confuso; a trilha passa por alguns campings e contorna por baixo uma pequena casa no alto de uma colina. (O ideal é informar com os locais). O restante da trilha é bem sinalizada.

         Logo no primeiro trecho tem uma subida curta, mas bem íngreme, passando por uma grande pedra com vista pra toda Ponta Negra (nesse ponto pega sinal de celular). Depois de algum tempo subindo a trilha vira um zigue-zague e sobe-desce infinito (é muito cansativa, mas pelo menos a mata é bem fechada tornando o clima ótimo!)

             Depois de muito tempo andando, você chega na parte de cima da cachoeira, onde passa o rio que alimenta a sua queda d´água (bom momento pra reabastecer os cantis). Seguindo mais um pouco, abre um clarão na mata e do alto de uma pedra da pra ter um visual incrível da Cachoeira do Saco Bravo, lá embaixo!

Cachoeira do Saco Bravo
Cachoeira do Saco Bravo

           A partir dai é preciso descer entre as rochas com bastante atenção (alguns pontos mais difíceis tem corda) pra chegar até o centro da cachoeira. A Cachoeira do Saco Bravo é incrível. São três quedas em sequência: a do meio, alimentada pela que vem lá de cima, forma uma piscina natural à beira mar numa cavidade da rocha e a inferior desemboca no oceano diretamente. Vale a pena mergulhar e tomar um banho de cachoeira enquanto admira a imensidão do oceano. (Não mergulhe no mar! É extremamente perigoso, pois o mar ali é revolto, com muita ondas batendo nas pedras)

queda inferior da Cachoeira do Saco Bravo
Queda inferior da Cachoeira do Saco Bravo

 

>CONSIDERAÇÕES FINAIS

          A Reserva Ecológica Estadual da Juatinga (REEJ) é uma unidade de conservação da natureza localizada no extremo sul do Estado do Rio de Janeiro, no município de Paraty. São 9.797 hectares de remanescentes florestais de Mata Atlântica, restingas, manguezais e costões rochosos. Criada em 1992, a Reserva tem como objetivo proteger a biodiversidade, a paisagem e a cultura tradicional caiçara. Na unidade vivem cerca de 1500 pessoas em 15 comunidades e núcleos de ocupação localizadas ao longo da costa.

            Toda a área da REEJ também está inserida na Área de Proteção Ambiental do Cairuçu, unidade de conservação federal administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. (Fonte: http://www.dapweb.org/inea/reej_t.php)

 

INFORMAÇÕES:

 

  • Paraty – Mirim: “localizado a 17 km do trevo de Paraty, o bairro de Paraty-Mirim possui um conjunto de atrativos naturais e históricos e foi um porto importante durante as primeiras ocupações do litoral. Lá está a Igreja mais antiga de Paraty, construída em 1720, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Paraty-Mirim. É uma igreja simples, com um só altar, sem a presença de torres e com o sino na parede lateral. Foi construída para batizar os escravos antes de serem vendidos ou leiloados. Ao lado da Igreja é possível visualizar um conjunto arquitetônico em ruínas. Além disso, a bela praia, de aproximadamente 700 metros, de águas calmas, e o rio que no meio dela deságua também são atrativos na pequena vila.Paraty-Mirim também é muito utilizada como porto de saída para outros lugares da baía de Paraty e é um dos principais locais de embarque para quem pretende visitar a Reserva Ecológica Estadual da Juatinga.No cais e na praia de Paraty Mirim é possível encontrar barqueiros que fazem a travessia até o Saco do Mamanguá e as praias da REEJ localizadas na enseada da Cajaíba. Em Paraty-Mirim existem quiosques, estacionamentos particulares e algumas vagas públicas na rua, além de campings e pousadas.” (Fonte: http://www.dapweb.org/inea/reej_t.php)

 

  • Cachoeira do Saco BravoÉ uma das mais belas cachoeiras da REEJ. Deságua no costão rochoso e forma um belo poço a poucos metros do mar aberto. Ao chegar próximo a cachoeira, é importante ter muito cuidado ao descer pelas pedras para acessar o poço. Fique atento: como a cachoeira está no costão rochoso, existe o risco de ondas invadirem o poço. Não existem salva-vidas no local e o resgate é dificultado pela declividade e distância da trilha até o posto de atendimento mais próximo na cidade de Paraty. É recomendando que o retorno seja feito antes das 15h para assim evitar estar na trilha à noite. Localizado em área remota, para acessar este atrativo é preciso fazer uma caminhada de 4,2 km com nível de dificuldade pesado, que dura em média 2 horas e 30 mim a partir da comunidade da Ponta Negra. Por ser uma trilha considerada difícil, para mais segurança sugere-se a contratação de um guia/monitor local e que a caminhada comece no período da manhã.” (Fonte: http://www.dapweb.org/inea/reej_t.php)

 

  • Praia da Ponta Negra: A praia tem a terceira comunidade mais povoada da REEJ, com cerca de 160 moradores. De águas transparentes, tem aproximadamente 180 metros de extensão e é procurada pelos visitantes que desejam se hospedar num ambiente tranquilo em contato com a natureza. A comunidade tem três campings, diversas casas de moradores para aluguel e restaurantes com comidas típicas. Os moradores ainda pescam com cerco flutuante e remendam suas redes na areia da praia em meio a uma boa prosa, com muitas histórias de pescador. Chamada pelos antigos de Praia Negra, a praia da Ponta Negra é o ponto de partida para a região mais remota e mais preservada da REEJ. As trilhas para o Cairuçu das Pedras e para a Cachoeira do Saco Bravo partem dessa comunidade. A trilha até a cachoeira do Saco Bravo tem 4,2 km de extensão e a trilha para o Cairuçu das Pedras tem 6,5 Km de extensão, atravessando uma área de relevo acidentado, cercada por Mata Atlântica com espécies arbóreas de grande porte. O acesso à comunidade da Ponta Negra de barco é feito a partir da Vila Oratório, de onde é possível contratar o serviço de transporte realizado por moradores da própria comunidade. Já para quem optar por chegar à praia por trilha, o caminho é feito a partir da Vila Oratório, passando pela Praia do Sono, Praia dos Antigos, Praia dos Antiguinhos e Galhetas. O percurso tem 7,8 km.”  (Fonte: http://www.dapweb.org/inea/reej_t.php)

 

  • Laranjeiras: “é o entorno continental imediato da Reserva, com um condomínio particular implantado na década de 70. Um pequeno cais localizado dentro do condomínio serve de apoio para a visitação às localidades da Praia do Sono e Ponta Negra. O acesso ao condomínio é restrito e só pode ser feito por Kombis que levam os moradores e turistas desde a Vila Oratório até o pequeno cais. Em Laranjeiras existem quatro praias frequentadas pelos condôminos e por visitantes. É possível chegar às praias por trilhas que partem da portaria do condomínio e do ponto final do ônibus na Vila Oratório. As trilhas são curtas, sinalizadas, bem conservadas e ideais para quem procura um passeio agradável, com pouca gente e uma bela paisagem”(Fonte: http://www.dapweb.org/inea/reej_t.php)

 

Digiprove sealCopyright secured by Digiprove © 2018

Deixar uma resposta

Sem comentários “Cachoeira do Saco Bravo – Paraty”

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove
Por favor, aguarde...

Junte-se a nos!

Deixe seu nome e e-mail pra que possamos enviar todas as novidades do nosso site, (relatos de trilhas, cachoeiras, dicas sobre viagens e muito mais) assim que forem sendo publicadas!! Siga também nosso instagram - @trilhasecachoeiras - e nos envie suas fotos...toda semana publicamos o \"destaque da semana\". Grande Abraço!
Translate »